Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Melhor Blog do Mundo

Porque as coisas boas da vida têm mais sabor quando são partilhadas...

Arte Xávega na Fonte da Telha

02.10.17 | Os bloggers

A Arte Xávega é um tipo de pesca costeira artesanal que remonta ao Séc. XIX e que na Europa, apenas se pratica no nosso país. 

DSC02221.jpg

A palavra Xávega provém do termo árabe "xábaka" que significa rede e inicialmente só no Sul se usava esta denominação para este tipo de pesca. No Litoral Centro e Norte, praticava-se um género de pesca muito semelhante mas com outro tipo de barcos, adaptados às condições mais adversas do mar, chamando-se simplesmente "as artes", no entanto, por imposição da lei, todo o tipo de pesca por arrasto para a terra, passou-se a chamar de Arte Xávega.

Inicialmente as redes de pesca eram puxadas à mão, depois passaram a ser puxadas por juntas de bois e agora recorre-se aos tractores com guinchos para tratarem deste trabalho mais pesado.

DSC02267.jpg

Da nossa infância ainda nos lembramos de ver os barcos e as redes a serem puxados pelas juntas de bois na Praia da Tocha, na Praia de Mira, na Praia da Costa de Lavos e na praia de Buarcos. No entanto, esta arte, que também é uma tradição, tem desaparecido ao longo dos anos. Hoje em dia pode-se assistir à recolha das redes nas praias da Costa de Lavos, da Torreira, da Vagueira, de Mira, da Vieira, do Pedrógão, da Saúde e da Fonte da Telha.

 

Foi nesta última, na Praia da Fonte da Telha, que pudemos assistir a mais um dia de faina da temporada 2017, já que este tipo de pesca só se costuma praticar entre Março e Outubro. Do que nos recordávamos da infância, o arrasto da rede faz-se muito mais depressa com a ajuda dos tractores, assim como a entrada do barco na água, que agora é empurrado pelo tractor. Depois da rede estar toda em terra, faz-se a separação do peixe pela espécie e retiram-se de novo para o mar os que não cumprem com os requisitos.

DSC02222.jpgDSC02255.jpgDSC02259.jpg

Foi uma agradável surpresa poder recordar momentos da infância sem estarmos a contar! Para nós que estamos a assistir, o sincronismo com que as cerca de 15 pessoas se articulam a desempenhar as suas tarefas, sempre debaixo do olhar atento das gaivotas que tentam roubar um ou outro peixe, criam um belíssimo cenário.

DSC02237.jpgDSC02241.jpgDSC02270.jpg

Uma grande vantagem de apanhar este momento, é poder comprar algum peixe acabadinho de pescar e fresquinho, a um preço bem mais simpático do que se encontra no mercado!

DSC02310.jpgDSC02315.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.